domingo, 20 de outubro de 2013

Soledade



Caminhada no deserto
Tumulto formado de cada grão
Significado vago carregado pelo vento
Céu pontuado por estrelas
Ofuscadas por nossa própria luz
Na brevidade distante de tudo que já foi
Contratempo da maquina, rodar da engrenagem fora do ritmo
Intangível meta que nunca devia ter sido traçada
Clepsidra que marca os tempos modernos, fluído
Mutável e inconstante são as próprias concepções dos rumos
E no ritmo da vibração dos outros, pressão
Barômetro oscilante, a cada dia mais sufocado
A força centrípeta da modernidade
Aumenta a gravidade sobre todos nós
E o movimento não para
ATM nos espalha e nos divide
Como areia soprada pelo vento
Procurando no céu o brilho de seus grãos
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário