terça-feira, 1 de julho de 2014

i(a)mor.tais

Giardians of Time - Manfred Kielnhofer

um ode aos que
arbitrariamente persistem
mesmo sem um porquê
racionalizado explicar

tão raros os que
assumem suas apostas
de tão raras respostas
preferem acreditar

insistentes intuitivos
decidem sustentar
apesar da entropia
que afeta o amar

conhecem infinito na
finitude dos momentos
concebem o íntimo na
escolha de se entregar

fazem da morte
uma simples distração
um velho relógio
a tiquetaquear

malucos desvairados
enfrentam o medo
da temível queda
que é se entregar

estranhos parentes
de sangue incomum
esquisito reflexo
a nos espelhar

insanos que topam
decididamente aceitam
que se fazem ser
optando por estar

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário